Saturday, 5 May 2007

Dias difíceis

Eu, por natureza alegre,
Sendo raríssimo que quebre,
Hoje, sinto-me perdido,
Parece que fui mordido!

Foi uma cobra terrível,
Que é quase invencível,
Cujo veneno se espalhou,
E já nem enxergo quem sou!

Perdi a minha identidade,
Apesar de já ter idade
De facilmente me distinguir,
E saber qual caminho seguir.

Existem alturas na vida,
Em que ela nos castiga,
Parece nos querer testar,
Ver se conseguimos lutar.

Estou a ser penalizado
Por não me ter adaptado
A esta nossa sociedade
De elevada velocidade.

Onde se perdem os valores,
Limitando-nos a ser actores,
Ignorando os sentimentos,
Optando pelo fingimento.

Porém, nada está perdido,
Apesar de estar ferido!
Amanhã, é um novo dia,
Vou continuar a travessia.

Buscar o antídoto milagroso,
Pois eu mostro ser corajoso,
E sei onde o devo procurar;
Mas... quando o vou encontrar?

9 comments:

Whispers in night said...

dentro do teu coracao...
beijos mil
whispers

Palomas said...

Hola António...bonitas poesías. Saludos desde Bell Ville, Córdoba, Argentina. Nos vemos!!!.

Linda Simões said...

Muitas vezes me sinto assim,perdida...Belo poema!

beijo

Linda Simões said...

Antonio,que vc tenha uma bela semana!

Que tenha inspiração pra mais belos poemas...E Felicidade,sempre.

Um abraço de além-mar.

Linda Simões said...

António
Que seu final de semana seja mágico.

Um abraço.

Linda Simões said...

António,obrigada pela presença no meu blog(simples).

Hoje estou leve,estava num lugar que eu adoro(uma ilha chamada Itamaracá)...
lá eu sinto PAZ.

E desejo pra ti uma semana de PAZ tbém...

Um abraço

Beatriz said...

Bello poema.
Pasé a saludarte
Cariños desde Uruguay
beatriz

Beatriz said...

Bello poema.
Pasé a saludarte
Cariños desde Uruguay
beatriz

Anonymous said...

Por que nao:)